Quando as gengivas se querem fazer ouvir...

Sorrimos, falamos, comemos... Todos os dias as nossas gengivas estão expostas não só ao meio ambiente como também ao meio interno, ao que se passa no nosso organismo. São a última fronteira junto aos nossos dentes, e é ali, que no interior da boca, ocorre o confronto entre o nosso sistema de defesa e todos os microorganismos que se acumulam junto aos dentes, na chamada Placa Bacteriana.

Quando o nosso sistema de defesa - o sistema imunitário - está saudável e é resistente, esta placa bacteriana pouco efeito tem sobre as nossas gengivas: pode ocorrer uma ligeira inflamação, mas após um correcto tratamento de higiene oral, há a reposição das características iniciais das gengivas em termos de volume, cor e resistência. O truque parece óbvio e em grande parte dos casos é o único tratamento necessário: eliminar a placa bacteriana e mantermo-nos saudáveis.

No entanto, tal como em qualquer doença, não temos todos a mesma capacidade de resposta, e é por isso que é tão importante estarmos atentos aos sintomas que surgem quando o organismo está a perder a "luta" contra a Placa Bacteriana: sangramento frequente, mau odor, aumento de sensibilidade, dor gengival, aumento do volume da gengiva, perda de gengiva em que os dentes parecem mais longos, alterações na posição dentária e até mesmo a sensação de "dentes a abanar". Porquê? Porque nestes casos a placa bacteriana é mais agressiva do que o nosso sistema de defesa, e por isso consegue ultrapassar as sucessivas "barreiras" físicas e químicas que ele envia para aquele local. Tudo começa na interface dente-gengiva, dali os microorganismos "rompem" a barreira física e a gengiva incha porque o sistema imunitário envia mais células de defesa para o local: a gengiva sangra e pode doer, as raizes dos dentes ficam mais sensíveis porque ficam "destapadas" da gengiva que as protegia, os microorganismos acumulam-se ainda mais nessa fenda e pode surgir o mau odor; o ligamento que une o dente ao osso fica também inflamado e começa a ficar menos resistente permitindo a mobilidade dos dentes, e o osso começa a ser destruído na zona infectada... só neste momento é que os dentes passam então a "abanar" e a mover-se, parecendo muitas vezes mais compridos por estarem a perder as estruturas de suporte que tapavam as raizes. Estamos perante uma Periodontite: o tratamento já terá que ser mais profundo para eliminar esta placa bacteriana que se infiltrou no nosso organismo. A estética e a função muitas vezes ficam comprometidas.

Há obviamente quem também seja mais sensível a estas alterações (o que até é bom porque irá procurar tratamento numa fase inicial da infecção), e há quem não tenha sensibilidade e viva inconsciente da situação (situação que se arrastará muitas vezes vários anos até ser detectada ou até os dentes se perderem!). Há ainda quem tenha uma situação aguda e que pela tremenda intensidade de dor o leva a recorrer ao tratamento com a maior brevidade possível, mas estes casos são muitissimo mais raros do que os anteriores. E claro, há quem tenha alterações gerais do sistema imunitário que diminuem a sua capacidade de defesa e o tratamento passará a ser multidisciplinar, sendo urgente.

Esteja atento ao que as suas gengivas lhe tentam dizer: sangramentos frequentes, alterações de volume e/ou cor, mau odor e sensibilidade ou dor gengival são sinais muito claros de que necessita de ser visto por um médico dentista que o possa tratar e aconselhar. Tenha em consideração que os microorganismos que entram no seu organismo podem disseminar-se na corrente sanguínea e afectar outras áreas do seu corpo. Mantenha-se saudável! :)


20 visualizações0 comentário